Campanha nacional é lançada a partir de cidade histórica do Paraná

Por Assessoria 14/11/2018 - 10:35 hs

O Movimento de Preservação da Memória Ferroviária & Turismo Férreo , tem sido base e modelo, para inúmeras iniciativas, no campo da preservação ferroviária e do turismo férreo no Paraná e também para outros estados da federação. Coordenado pelo ferroviarista  Márcio Assad, pioneiro em turismo férreo no Brasil e uma das referencias nacionais mais ouvidas no âmbito da América Latina, com trabalhos e representações em diversos países, está lançando uma campanha nacional, que visa tirar de praças e parques locomotivas e material rodante ( carros de passageiro , popularmente chamados de vagões) , que tiverem condições de serem recuperados para a utilização nos trilhos. Assad informa que o numero de propostas e projetos  de passeios eventuais e comemorativos e até mesmo projetos permanentes,  estão se avolumando em todo o território nacional , aumentando a demanda por esses equipamentos , que muitas vezes foram implantados em praças e parques, com festa, pomposas , na qualidade de "monumentos" e acabaram abandonados servindo a propósitos nada recomendados e criando inclusive, em inúmeros casos , problemas para a comunidade. " Queremos ver estes materiais sendo preservados pelo uso, atendendo as demandas de trens turísticos e tornando-se verdadeiros museus dinâmicos da ferrovia". nos diz Assad, que dá como exemplo a  Locomotiva Nº 11, fabricada em 1884, que serviu por muitos anos de "enfeite", até ser recolhida para a sede da ABPF-PR ( Associação Brasileira de Preservação Ferroviária) e em uma parceria com a co-irmã de Santa Catarina e apoio da RUMO logística, foi completamente recuperada e irá abrilhantar os espetáculos natalinos no Paraná e na sequencia terá um destino nobre, em roteiros pelo estado, conforme determinações da ABPF. e complementa, perguntando: Quantas locomotivas e carros de passageiro no Brasil, poderiam ser recuperados para projetos similares? Esta é a resposta que a Campanha Nacional de Preservação da Memória Ferroviária e turismo férreo, quer saber e poder auxiliar, através de parcerias com órgãos públicos, empresas privadas entidades do terceiro setor a volta aos trilhos. Também queremos mapear, quantos , quais em que estágio estão, projetos e iniciativas  que visam a recuperação destes materiais  e  possíveis operacionalizações   de passeios, onde isso for possível e viável.Finaliza Assad, que diz estar muito confiante, na retomada da recuperação da memória ferroviária e do turismo férreo e  completa: "Estamos entrando nos trilhos da história e da memória..."  

Assad disponibilizou o telefone: 41 99986-1011 ( whatsapp) , para contatos e também o email: comunicacao.spmf@gmail,com