Seja bem vindo
Curitiba,17/07/2024

  • A +
  • A -
Publicidade

Mercado de leilões imobiliários sai ganhando com queda da Selic

Taxa alcança o menor patamar desde 2022 e pode favorecer os interessados em imóveis.


Mercado de leilões imobiliários sai ganhando com queda da Selic Foto: Freepik

O comportamento da taxa básica de juros Selic impacta diferentes setores, inclusive o imobiliário. Os últimos dados trazem uma perspectiva positiva para quem pretende adquirir uma propriedade no curto prazo, seja por meio de leilões de imóveis ou outras modalidades de compra. 


Em maio, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central anunciou mais um corte na Selic, que chegou a 10,5% ao ano. Em junho, a instituição decidiu manter o percentual, encerrando o ciclo de queda dos juros. Ainda assim, Selic se mantém no menor patamar desde março de 2022.


Quando ocorrem episódios de cortes de juros, os empréstimos e os financiamentos para compra de imóveis tendem a ficar mais baratos, aumentando o interesse dos compradores, tanto aqueles que pretendem investir no setor, quanto aqueles que desejam adquirir uma residência para morar.


Para quem procura imóveis, a participação em leilões judiciais ou extrajudiciais nesse momento pode ser uma oportunidade para encontrar opções com preços mais acessíveis que no mercado tradicional. 

Como a taxa Selic influencia o mercado de leilões 


De acordo com o Banco Central, a Selic é a taxa básica de juros da economia brasileira, sendo o principal instrumento de política monetária para controlar a inflação no país. Por esse motivo, seu comportamento interfere nas demais taxas de juros do Brasil, incluindo a de financiamentos e empréstimos. 


Conforme explica o Conselho Regional de Corretores de Imóveis da 1ª Região/RJ (Creci-RJ), quando a Selic sofre uma queda, os bancos são estimulados a emprestarem mais dinheiro à população, pois aumenta a oferta capital disponível no mercado. No cenário contrário, quando a taxa está em crescimento, os bancos tendem a emprestar mais dinheiro ao governo, numa tentativa de aumentar os próprios rendimentos. 


Sendo assim, com a redução da taxa básica de juros, os investidores do mercado imobiliário, incluindo os que optam por leilões de imóveis, podem encontrar oportunidades mais atrativas para o bolso. Uma das formas de pagamento dos leilões é o financiamento imobiliário. Com os juros em baixa, o método favorece a compra de propriedades com valores mais baixos.


Para efeito de comparação, segundo o Banco Central, no ano de 2021 a Selic fechou em 2%. Já em 2023, foi fixada em 13,75%. A média de juros dos financiamentos passou de cerca de 7% para mais de 10%. Quando a taxa da Selic sobe, os juros também apresentam aumento e tendem a encarecer a compra de imóveis financiados. 


As propriedades leiloadas costumam ter valores mais baratos do que os imóveis vendidos pelos meios tradicionais. Com a queda da Selic, é possível fechar uma compra ainda mais econômica.

O que é preciso saber para aproveitar o momento em leilões 


Os leilões de imóveis são uma modalidade de compra considerada mais atrativa do que os métodos tradicionais. Em alguns caso, os valores das propriedades podem ser 80% mais baixos do que os vendidos em outras modalidades. 


É possível encontrar diferentes leilões espalhados pelo país. Para aqueles que nunca participaram, uma das formas de encontrar mais informações é buscar na internet sobre o tema, filtrando a região como, por exemplo, “leilão de imóvel na Bahia”.  


Ao encontrar um leiloeiro, seja presencial ou on-line, é importante que o investidor verifique as informações disponíveis, procure saber se outras pessoas já compraram em eventos anteriores e se a documentação está correta. 


Além disso, também é possível checar a autenticidade por meio do registro na Junta Comercial do estado onde a empresa está sediada. No site da instituição, o investidor consegue encontrar o nome do leiloeiro oficial e seu número de registro no órgão. 


Há dois tipos de leilões: os judiciais, que apresentam imóveis penhorados pela justiça, e os extrajudiciais, que são organizados pelos bancos, sem a necessidade de intervenção da justiça brasileira no processo. 


O edital é o documento disponibilizado pelo leilão com todas as informações necessárias sobre o imóvel. Por meio dele, o investidor consegue saber o tipo de propriedade, a localização, as condições do imóvel, as formas de pagamento e possibilidades de financiamento. Por isso, a orientação é ler o documento com atenção antes de confirmar a participação no evento.





COMENTÁRIOS

Buscar

Alterar Local

Anuncie Aqui

Escolha abaixo onde deseja anunciar.

Efetue o Login