IML identifica corpo e Polícia Civil aguarda laudo para esclarecer morte de garota de programa

27/09/2017 - 13:07 hs

A mulher encontrada morta por vizinhos, no último sábado (23), no bairro Tijuco Preto, em Rio Negro, foi identificada pela Instituto Médico Legal do Paraná (IML), a mulher trabalhava em uma casa noturna em Rio Negro, e era conhecida pelo nome de Priscila. 

Segundo as informações do IML, o seu verdadeiro nome era Suzana Zamparetti, ela tinha 39 anos e natural de São Francisco do Sul/SC. Suzana morava há pouco tempo em Rio Negro e estava em um relacionamento aberto e não portava nenhum tipo de documento. 

A perícia ainda não concluiu a causa da morte, mas, segundo o promotor de Justiça, Juliano da Silva, o corpo não tem indícios de agressões. “A perícia final sai em 15 dias, o laudo será encaminhado à delegacia para que possamos encerrar esse caso”, pontuou. 

Neste caso, o que mais chamou atenção foi a demora com que o corpo foi recolhido pelo IML. As autoridades foram notificadas por volta das 6 horas da manhã de sábado, mas o corpo só foi retirado da residência, pouco antes da meia-noite.  Praticamente 18 horas depois. 

Entenda o caso

Garota de programa é encontrada morta em Rio Negro