Como investir na Bolsa de Valores com R$ 100

Há opções de investimentos acessíveis que podem ser consideradas pelo pequeno investidor.

Por Assessoria 05/01/2022 - 18:22 hs

Como investir na Bolsa de Valores com R$ 100
Foto: rafastockbr/Freepik

Ao contrário do que muitos imaginam, é possível investir na Bolsa de Valores com pouco dinheiro. Há diferentes ativos disponíveis na B3 com preços acessíveis, como ações, fundos de índice (ETFs) e fundos de investimentos imobiliários (FIIs). De acordo com especialistas do mercado financeiro, não há um valor mínimo para começar, por isso, mais importante do que se preocupar com a quantia disponível para investir é saber qual é a melhor estratégia para fazê-lo.

Segundo as regras de investimentos da B3, com apenas R$ 100 é possível investir no mercado fracionário de ações, que permite a compra de lotes menores e mais baratos, diferente do mercado comum que exige a aquisição mínima de cem ações. Há empresas negociadas na Bolsa que vendem ativos com valores de R$ 20 ou R$ 30, por exemplo. 

Também é possível encontrar ETFs a partir de R$ 30. O ativo, aliás, tem atraído cada vez mais o interesse dos brasileiros. Entre setembro de 2020 e setembro de 2021, os investimentos nessa modalidade de aplicação quase dobraram (96%), segundo informações divulgadas pela B3. Em meio ao aumento da demanda, a oferta foi ampliada: 32 novos fundos foram listados só em 2021, totalizando 61 opções disponíveis.

Os fundos imobiliários são outras opções para quem quer ingressar na renda variável com pouco dinheiro. Essa categoria de ativo registrou alta de 40% dos investimentos entre setembro de 2020 e setembro de 2021, também segundo o levantamento da B3.

Como começar a investir

Antes de começar a investir na Bolsa de Valores, é preciso avaliar se as operações atendem ao interesse do investidor e qual será a estratégia adotada. A Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima) recomenda pesquisar sobre as características dos ativos, entender a dinâmica das operações, avaliar o próprio perfil de investidor e a sua tolerância aos riscos, além de verificar qual é a finalidade do investimento e quando pretende resgatar o dinheiro.

Após essa análise detalhada será necessário abrir conta em uma corretora. Isso porque para ingressar na Bolsa é preciso investir por meio de uma plataforma de investimentos, pois as transações são feitas via home broker.

Em seguida, é preciso pensar a melhor estratégia para investir, considerando não só a possibilidade de retorno financeiro, mas também as formas de minimizar os riscos das operações. Os especialistas da corretora onde se tem conta podem auxiliar nessa tomada de decisão. 

Outras opções de investimentos

Se após a análise recomendada pela Anbima o investidor perceber que seu perfil e seus interesses não são compatíveis com as aplicações disponíveis na Bolsa de Valores, há outras opções de investimentos que podem ser realizadas com apenas R$ 100. O Tesouro Direto é um ativo em renda fixa que disponibiliza títulos a partir de R$ 30.

Segundo a Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), investir é um passo importante para fazer o dinheiro poupado render e, assim, ter a possibilidade de tirar planos do papel e realizá-los. A associação destaca a importância da educação financeira neste processo, para uma melhor administração do dinheiro que será investido.