Como se planejar para ter um ano sem dívidas

Quitar dívidas antigas e cortar despesas desnecessárias são medidas para evitar passar o ano no vermelho.

Por Assessoria 14/01/2021 - 14:43 hs

Com a chegada de um novo ano, muita gente quer começar uma nova etapa, inclusive financeiramente. A maioria deseja evitar dores de cabeça envolvendo dívidas. Para isso, é importante planejar-se para controlar melhor as despesas.

 

Para mudar a saúde financeira da sua casa, existem várias possibilidades do que pode ser feito. Você pode recorrer a um financiamento com juros baixos para quitar as dívidas mais antigas, por exemplo, livrando-se de juros altos. Outra dica valiosa é criar uma reserva financeira para situações de emergência, protegendo-se de imprevistos.

 

Neste texto, conheça algumas das práticas que você pode adotar para se planejar adequadamente e ter um ano livre do vermelho.

Controle seus gastos com uma planilha

Para conseguir planejar-se adequadamente, é necessário que você saiba detalhadamente qual é a sua renda e quais são os seus gastos mensais. Assim, você tem clareza para perceber se as despesas estão acima do seu salário e o que você precisa cortar para não ficar no vermelho, criando dívidas.

 

Um dos métodos mais recomendados para realizar esse controle é criar planilhas digitais. Elas são úteis e fáceis de usar, permitindo que você anote toda a movimentação financeira do seu dia a dia, documentando tudo o que precisa para saber quanto está gastando.

 

Para quem não está familiarizado com essa ferramenta, existem modelos prontos que podem ajudá-lo a realizar essa tarefa. Você também pode personalizar a sua planilha, separando colunas para diferentes tipos de gastos, como contas, despesas dos cartões de crédito e débito, cheques, etc.

Corte as despesas supérfluas

A partir do momento que você anota tudo o que gasta em um mês, fica muito mais fácil identificar quais despesas podem ser cortadas. Não tem como abrir mão de algumas delas, como o pagamento das contas de luz, água, internet, aluguel, condomínio, compras de supermercado ou gasolina.

 

Porém, existem outros gastos que podem ser cortados. Geralmente, são compras de pequenos valores, como lanches na rua, que você nem se dá conta que podem fazer uma grande diferença no fim do mês. Compras excessivas, motivadas por promoções, como “leve 4 pague 3”, também contribuem para despesas maiores, pois fazem com que você adquira mais que o necessário.

 

Portanto, faça uma análise do que pode ser excluído. Procure levar lanches de casa para não precisar comer na rua. Se puder ir para um lugar com transporte público, opte por essa opção em vez de utilizar aplicativos de viagem. Essas mudanças são capazes de fazer uma enorme diferença na saúde financeira da sua casa.

Troque dívidas caras por mais baratas

Se você começou o ano no vermelho, com dívidas pendentes, é imprescindível que procure saná-las quanto antes. A reestruturação financeira, cortando gastos desnecessários, é uma forma de ter mais dinheiro para pagar esses débitos, mas por causa dos juros, isso pode não ser o suficiente.

 

Pode parecer contraditório, mas uma das possibilidades de reverter esse cenário é adquirindo uma nova dívida, por meio de empréstimo, para solucionar o que está pendente. Isso porque, em muitos casos, existem tipos de operações que oferecem condições mais favoráveis de pagamento, com juros menores e mais tempo para pagar.

 

Assim, você utiliza o dinheiro do empréstimo para quitar as dívidas antigas. Foque no acerto daquelas que têm um valor mais alto, uma vez que os juros aplicados sobre elas são mais severos. Com a reorganização financeira, no futuro, pagar o custo do empréstimo será mais fácil e menos custoso para você.

Tenha uma reserva de emergência

Esta é uma das dicas mais antigas dadas pelos especialistas nesse assunto. Procure organizar-se para acumular uma reserva monetária para usos emergenciais no futuro. Isso porque imprevistos, como despesas não planejadas envolvendo reforma, reparo ou tratamento médico, podem acontecer de uma hora para a outra.

 

Outra possibilidade que é um verdadeiro pesadelo para as pessoas é a chance de perder o emprego abruptamente. Com a reserva financeira, você ganha tempo para arcar com as despesas mensais enquanto procura por um novo trabalho.

 

Assim, a recomendação é que você separe cerca de 10% da sua renda para essa reserva. Não use esse dinheiro para situações que não são emergenciais. Isso pode ser um sacrifício, mas fará enorme diferença quando você precisar.