Relacionamento e companhia: os apps e sites que bombam

Por Assessoria 15/09/2020 - 21:36 hs

Estamos vivendo em tempos de distanciamento físico e social. Mas ele não precisa ser total e absoluto. Aplicativos de relacionamento tais como o Bumble, o Happn e o Tinder - um dos mais famosos da atualidade -, podem ajudar a encarar a solidão. 

Isso porque, mesmo que os encontros físicos não sejam aconselhados atualmente, esses aplicativos e sites de relacionamento promovem encontros virtuais que amenizam o isolamento social. 

Sendo assim, separamos algumas dicas de aplicativos de relacionamento e de interação que mais estão bombando em 2020, principalmente durante o período de isolamento social imposto pela pandemia no novo Coronavírus (Covid-19). Confira!



O crescimento dos aplicativos de relacionamento 

Sem os bares, os restaurantes, os cinemas e outros locais públicos para encontros presenciais, as pessoas estão sendo obrigadas a reinventar as suas interações. E essa reinvenção parece funcionar muito bem de maneira virtual, visto que esses aplicativos registram alta com recordes de utilização.

Alguns exemplos desses recordes são os aplicativos indianos Aisle e TrulyMadly, que nunca viram tanta gente, aumentando o número de usuários em cerca de 100%. 

Entre os pesos-pesados, temos o Bumble, um dos concorrentes diretos do Tinder, que é uma experiência fantástica aos seus usuários e mantém-se entre um dos mais interativos e crescentes do momento. 

O aplicativo OkCupid, da mesma empresa do Tinder, disse que o uso entre os mais jovens em grandes cidades tem aumentado em diversos países da América, Ásia e Europa. 

Outros aplicativos que podemos citar que estão se destacado entre os jovens em grandes cidades são o S’More, que atua em Boston, em Nova York, em Chicago e em Washington-DC, e que declarou um exponencial aumento de 28% durante a pandemia. 

O aumento, nessa mesma época, para o aplicativo holandês The Inner Circle, chegou a 116% e esse número se mantém mesmo com os primeiros indícios de que a crise pandêmica começa a se amenizar.

 

Mudanças nos hábitos dos usuários dos aplicativos de relacionamento 

E os hábitos também estão mudando. Segundo pesquisa conduzida pelo Happn, nesse período, 54% dos usuários entrevistados se declararam dispostos a realizar o primeiro encontro através de videochamada, seguindo as recomendações de saúde mundiais para evitar a propagação do Covid-19, em tempos de pandemia. 

Para facilitar o flerte e os encontros, o aplicativo ainda expandiu sua área de abrangência para uma maior, que atinge um raio de 250 quilômetros em relação aos seus usuários. O raio anterior era de apenas 90 km. Tudo isso para diminuir a sensação de isolamento total, em meio ao isolamento físico. 

Seu concorrente, o Tinder, declarou que alguns recursos pagos estariam disponíveis para todos as pessoas, incluindo as que usam a versão gratuita do app, já que a duração das conversas se estendeu. Além disso, o recurso de geolocalização, agora, abrange o mundo todo, visto que, em encontros virtuais, a distância não é mais um fator limitante.


Até mesmo serviços de acompanhantes estão recorrendo a encontros virtuais 

Mesmo profissionais de serviços de acompanhantes estão recorrendo a esse tipo de encontro. Para aqueles que procuram acompanhantes e companhia, os atendimentos passaram, quase que exclusivamente, para o virtual, através de videochamadas para emular a experiência presencial. Mulheres de várias regiões a um clique de distância. 

Essa modalidade vem sido adotada principalmente por usuários mais velhos, os chamados baby boomers, que já enfrentavam questões de solidão e, apesar de se utilizarem dos recursos tecnológicos para socializarem, ainda preferem algo mais próximo a um encontro formal entre duas pessoas. 

Sendo assim, eles encontraram nesses aplicativos uma maneira de enfrentar esse problema, marcando encontros românticos como jantares, cafés, sessões de cinema online de duas pessoas, dentre outras possibilidades; para simularem encontros mais parecidos com os de situações em tempos “normais”. 

Essa geração, que sempre resistiu à tecnologia, vem descobrindo o que ela pode fazer em seu benefício. Isso pois os aplicativos se tornaram, na maior parte das vezes, a única maneira de se relacionar com outras pessoas nos últimos tempos. Ou, até, de manter uma rotina em meio ao período de quarentena. 

Dessa forma, ao digitalizar essas atividades, o bloqueio tecnológico pode ser superado por todos e a tecnologia, os aplicativos e os sites de relacionamentos passam a ser ferramentas de promoção de bem-estar emocional e mental.

 

Ressignificação dos aplicativos de relacionamento 

Como verificado, existem diversas mudanças ocorrendo no mundo dos aplicativos e sites de relacionamento devido à ausência dos encontros presenciais, portanto, os aplicativos vão sendo ressignificados e outras modalidades de interações virtuais são criadas. 

Agora, eles já não são somente sobre ou para encontros amorosos. Na verdade, não são, em absoluto, para essas finalidade, porque os encontros amorosos presenciais ainda voltarão a ocorrer no futuro. 

Contudo, em tempos de pandemia, com os encontros presenciais sendo suspensos até segunda ordem, os aplicativos passam a ser uma ferramenta de promoção de saúde mental, além de reafirmar o desejo de interação, combater a solidão e trocar experiências, mesmo que virtuais. 

Isso mostra que a tecnologia para a promoção da qualidade de vida e saúde mental das pessoas está se tornando cada vez mais fundamental.