Economista da Corta Juros dá orientações para novatos no Mercado de Ações

Economista da empresa Corta Juros, Josuel Silva, afirma que a melhor forma de evitar novas dívidas é saber investir

Por Assessoria 04/09/2020 - 08:42 hs

Economista da Corta Juros dá orientações para novatos no Mercado de Ações
Foto: Pixabay / MF Press Global

A queda da Selic para 2% ainda vai dar muito o que falar. Um dos resultados é a total mudança de comportamento dos brasileiro em relação a investimentos. A poupança e os títulos do Tesouro Direto, que há tempo não vinham sendo as melhores opções, passaram a ser menos vantajosos ainda. Isso tem levado muitos a se arriscarem no Mercado de Ações, inclusive os inexperientes. Outro fator determinante para esta migração, foi a queda dos preços dos papéis registrada no início da pandemia, que aos poucos, vêm se recuperando. Entretanto, o economista consultor da recuperadora de crédito Corta Juros, Josuel Silva, recomenda sempre o mesmo: cautela. “Todos os itens devem ser analisados minuciosamente, principalmente por quem tem menos experiência”, afirma.

A empresa trabalha com recuperação de crédito, ou seja, consumidores endividados em busca de uma saída. Uma das orientações é sempre evitar chegar a este ponto, portanto, ter uma reserva de emergência e outras fontes de renda são fundamentais. Se o esta outra fonte for dos investimentos na Bolsa de Valores, o investimento deve trazer benefícios, e não mais dores de cabeça. A, portanto, para os iniciantes, é investir em diversas empresas, colocando um pouco de dinheiro em cada. O segundo ponto destacado pelo economista é buscar nomes sólidos, as empresas de tecnologia como Google e Apple são excelentes opções, no Brasil, o consultor recomenda a Itaú também. A terceira e principal recomendação é: seja conservador se não tiver experiência, do contrário, perderá dinheiro e não terá como honrar compromissos financeiros. “Melhor que correr para recuperar crédito é saber organizar a vida e se tornar um investidor consciente, comece sendo conservador”, ressalta Silva.