As academias não serão as mesmas – Estúdios de eletroestimulação oferecem segurança e treinos individualizados em tempos de Covid-19

Por Assessoria 14/07/2020 - 19:22 hs

A pandemia do novo coronavírus fez com que o exercício físico se tornasse um desafio. Com a abertura parcial das atividades das academias, a vontade de malhar é grande, mas o medo também. Neste cenário, os estúdios de eletroestimulação surgem como uma alternativa de treino seguro devido ao seu modelo de negócio focado em atendimento de pequenos grupos em um treino rápido, de 1 a 2 vezes por semana. E a miha, marca pioneira e líder de mercado de eletroestimulação, mantém o crescimento das atividades no Brasil mesmo na crise e traz novos protocolos de atendimento no pós-pandemia desenvolvidos na Alemanha, matriz da empresa.


O treino com eletroestimulação possui diferenciais em relação às academias convencionais. Ele é individualizado, com agendamento prévio e, durante a aula, ficam apenas o professor e o aluno na sala, mantendo o isolamento social. Todo o material utilizado, como o colete e os eletrodos que conduzem a corrente elétrica, são higienizados com álcool 70 antes e depois da sessão. Tanto o aluno quanto o professor recebem uma máscara facial, que deve ser descartada a cada treino. O ambiente de treino é frequentemente higienizado e as sessões ocorrem com 1 hora de intervalo entre elas. 


A grande vantagem do treino com eletroestimulação neste contexto de pandemia é que duas sessões por semana , que duram 20 min cada, são suficientes para alcançar excelentes resultados em ganho de massa, tônus muscular, reabilitação física, dentre outros. O aluno vai se expor menos ao ambiente, se comparado a uma rotina de treinos numa sala de musculação", afirma Matheus Ferrarezi, consultor científico de miha e proprietário da uma rede de franquias de eletroestimulação. Apenas durante a pandemia, seu negócio abriu 3 novas unidades no Rio Grande do Sul, foco do projeto.


Márcio Atalla, o novo embaixador da miha, concorda com a segurança dos treinos de eletroestimulação em tempos de Covid-19. “Além de seguro, há também a questão do ambiente mais individualizado, onde os resultados tendem a ser melhores. Cada aluno tem uma roupa e não há contato com aparelhos. Este é um excelente momento para conhecer uma tecnologia assim na prática esportiva, pois é importante não ficar parado e estar saudável na situação que vivemos hoje”. 


Live tira dúvidas sobre os novos protocolos de segurança 


Nesta quarta (15)  a miha e o estúdio E-Body,, promovem uma live, às 17h30, para explicar como funcionam na prática os novos protocolos de segurança para estúdios de eletroestimulação, que foram desenvolvidos pela miha na Alemanha. . A live poderá ser assistida pelo Instagram da E-Body e Miha Brasil. 


Confira também um vídeo explicando os protocolos em estúdios parceiros da Miha - https://drive.google.com/file/d/1g0Q1q69XDLuJQnjpQDiobKXI9KbosDkr/view

sobre miha


Miha é um sistema completo de treino de eletroestimulação de corpo inteiro que reúne tecnologia inovadora, praticidade e conforto, para que toda a musculatura, inclusive a mais profunda, seja estimulada simultaneamente por impulsos elétricos. A Eletroestimulação dos Músculos (EMS), é uma forma de ativação muscular que recria o movimento natural o sistema nervoso por meio de estímulos elétricos. A tecnologia foi desenvolvida em 2007, na Alemanha, e hoje está presente em 55 países. No Brasil, onde chegou em 2016, já conquistou mais de 150 estabelecimentos parceiros, espalhados pelas cinco regiões do país. É utilizada no esporte de alto rendimento, por grandes nomes da medicina e treino esportivo, além de atletas como Rafael Nadal, Usain Bolt e celebridades