Londrina se prepara para receber segunda etapa do Campeonato Paranaense de Poker

Por Assessoria 17/03/2020 - 21:08 hs

Londrina se prepara para receber segunda etapa do Campeonato Paranaense de Poker
Torneio é um dos estaduais mais movimentados do país. Foto: Divulgação

A cidade de Londrina, um dos principais centros econômicos do estado do Paraná, está escalada para receber a segunda etapa do Campeonato Paranaense de Poker (CPP), principal circuito estadual do esporte da mente mais popular do planeta, que é organizado pela Federação Paranaense de Texas Hold’em (FPTH).

A competição está marcada para começar no dia 31 de março, com duração até 6 de abril, quando será realizada a mesa final do Main Event. O local será o A7 Sports, clube de poker localizado na região de Alcantara A exemplo da primeira edição, realizada na cidade de Cascavel, entre os dias 11 e 17 de fevereiro, a premiação garantida será de R$ 200 mil (a ser distribuída entre os melhores classificados de acordo com a melhor posição).

O torneio certamente faz parte do planejamento de qualquer jogador do estado, tanto aqueles que estão acostumados com os torneios ao vivo quanto os que se destacam no online em sites especializados como o partypoker. uma vez que a premiação garantida é uma das maiores entre todos os torneios do sul do país.

Para o Main Event, o buy-in, ou seja, a taxa de inscrição, é de R$ 350, dando ao competidor o direito a 30 mil fichas, com possibilidade de entrada até o sexto nível de blinds e reentrada até o oitavo nível. No entanto, a organização realiza torneios satélites online que distribuem vagas gratuitas na competição.

Além do torneio principal de Texas Hold’em, estão previstas outras competições paralelas como KnockOut, Ladies, Omaha, Last Chance e High Roller, cada um com sua estrutura de buy-in e blinds que podem ser consultadas no regulamento presente no site da competição.

Ranking


Givanildo Roncaglio lidera o ranking do CPP. Foto: Divulgação

Atualmente, a liderança do ranking pertence a Givanildo Roncaglio, que faturou o Main Event da primeira etapa do Campeonato Paraense em Cascavel, em fevereiro, levando R$ 53 mil como premiação e uma pontuação de 1000 na classificação geral. Na mesa final, Rongaclio superou Ademar Alves da Silva e ficou com o título.

O vice-líder do ranking é Diogo Clock, que se deu bem nos torneios paralelos e faturou nada menos que três troféus na primeira etapa, (KnockOut, Omaha e High Roller) somando 950 pontos e entrando de vez na briga pela liderança.

Completam o top 10: Ademar Alves da Silva (850 pontos), Carlos Augusto Schaefer (750 pontos), Antonio Carlos Munaretto (700 pontos), Ederson Almeida (650 pontos), Sérgio da Silva (600 pontos), Celio Reginaldo de Moraes (500 pontos), Guilherme Hector Hayashi (490 pontos) e Ari Miguel da Rocha (430 pontos).

Ao final de cinco etapas, o líder do ranking será declarado campeão paranaense e levará pra casa R$ 30 mil reais, um buy-in com despesas pagas para o Main Event do Brazilian Series of Poker (BSOP), um dos maiores torneios do país, além do bracelete de campeão paranaense e de uma vaga na Seleção Paranaense de Poker que disputará o Campeonato Brasileiro de Equipes (CBPH), organizado anualmente pela Confederação Brasileira de Texas Hold’em (CBTH). Quem terminar no top 10 também ganhará um buy-in para o Main Event do BSOP, além de premiações proporcionais em dinheiro.

No ano passado, o título ficou com Diego Soares, que terminou a temporada com 2340 pontos, seguido por Rafael Furlanetto (2290 pontos) e Celio de Moraes (2290).

Paraná: tradição no esporte


Paranaense Alexandre Gomes já foi campeão do WSOP. Foto: Divulgação

Se hoje o circuito paranaense de poker é um dos mais movimentados do país, isso se deve à tradição que o estado tem no esporte da mente há bastante tempo.

O estado já revelou dois campeões mundiais de poker: O primeiro deles foi Alexandre Gomes, pioneiro entre os brasileiros a ostentar um título do World Series of Poker, maior circuito mundial da modalidade. Ele faturou o bracelete do WSOP em 2008, e também já venceu uma etapa do World Poker Tour, além de ter disputado a mesa final de um evento do European Poker Tour em 2009. Alexandre Gomes é considerado até hoje um dos mais relevantes jogadores de poker brasileiro, sendo reverenciado como uma das inspirações para as novas gerações.

Onze anos depois, o curitibano Yuri Martins também fez história e faturou o evento 51 do World Series Poker em junho de 2019, se tornando o sexto brasileiro a levar o bracelete. Além dele e de Gomes, também já foram campeões André Akkari (2011), Thiago Daceno (2015), Roberly Felício (2018), Murilo Souza (2019).

O estado também já conquistou o título do Campeonato Brasileiro de Equipes em 2018, com uma equipe formada por Daniel Almeida, Marco Brito, Alisson Piekazewicz, Dayane Kotoviezy, Leocir Carneiro e Pedro Grochocki, nomes bastante relevantes no cenário do poker paranaense nos dias de hoje.

Coronavírus

Em meio à crise de Covid-19 que toma conta do país e do mundo, a Federação Paranaense de Texas Hold’em (FPTH) ainda não manifestou a respeito de um possível adiamento ou cancelamento da segunda etapa do Campeonato Paranaense, o que indica que o torneio deve acontecer.