A histórica cidade do litoral norte paranaense, terá o mais completo programa de preservação ferroviária e turismo férreo do Brasil

Por Assessoria 20/05/2019 - 08:22 hs

Quando a Presidente do IPHAN  Kátia Borgéa  - Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional,junto com o Superintendente do órgão no Paraná  Arq. José Luiz Desordi Lautert,  estiveram em Antonina para a assinatura das ordens de serviço do PAC das cidades históricas, há quase um ano ( 13 de junho de 2018) ,  ambos sabiam que estavam contribuindo de forma indelével para a transformação da cidade do litoral norte paranaense, dotando-a da estrutura necessária para o desenvolvimento de um dos mais importantes produtos de turismo ferroviário do Brasil:  "  A restauração da estação ferroviária de Antonina  veio no momento certo. Estamos  gratos  pelo apoio da Presidência do IPHAN e do Departamento de Projetos Especiais pela viabilização da obra, assim a histórica locomotiva que fará o trajeto Morretes-Antonina terá um receptivo à altura em Antonina e que também abrigará um centro de memoria ferroviária" declarou o Superintendente  José Luiz. O ferrovialista Márcio Assad, autor do projeto Antonina Ferrovia e Mar, nos anos 90, quando respondia pela comunicação da ABPF-PR,  também ressalta a importância do momento histórico.: " O universo está conspirando a  favor da preservação da memória ferroviária e do Turismo Férreo no Paraná,  em especial no trecho compreendido por Morretes-Antonina, pois Governo Federal ( através do IPHAN), Governo Estadual ( através da Paraná Turismo), as prefeituras de Antonina e Morretes, a Associação Brasileira de Preservação Ferroviária e a empresa concessionária RUMO Logística, estão em uníssono em prol da iniciativa, que viabilizará  o  projeto: "Estrada de Ferro Morretes-Antonina". Assad completa explicando que a iniciativa engloba a operação ferroviária,  um Centro de Memoria,  receptivo turístico, a integração com outros modais de transporte ( por isso o projeto original se  chamar: Antonina Ferrovia e Mar) e um programa de educação patrimonial, denominado  "Aprendiz Ferroviário". " Será o mais completo programa de preservação ferroviária e turismo férreo do Brasil e certamente fará escola",  afirma Assad . 

Márcio Assad, que também  é pioneiro em turismo férreo no Brasil e criador da viagem turística  de Maria Fumaça Curitiba-Lapa-Curitiba, será o CEO( Chief Executive Officer)   da empreitada e estará ombro a ombro com o Eng. Rodrigo Dolenga, que responderá pela Diretoria de operações e a ABPF
 


Nas fotos Márcio Assad com o Superintendente do Iphan José Luiz Desordi Lautert ( foto 1)  Com o  Superintendente Geral da ANTT, Mario Rodrigues ( à época Fev. 2018-  que apresentou o projeto Museu dinâmico da Ferrovia)  Flash da reunião de defesa do projeto na ANTT, onde se vê ao fundo o prefeito de Antonina, José Paulo Vieira Azim e o Prefeito Marajá  de Morretes.