Bloco do Beco: Parceria com Vigo Video enriquece carnaval

Rede social de vídeos curtos ajuda a financiar o tradicional cortejo, que reúne 4 mil foliões e atua durante o ano todo na Zona Sul da capital paulista

Por Assessoria 14/02/2019 - 10:07 hs

Criado há 16 anos, o Bloco do Beco se prepara para um carnaval de proporções inéditas em 2019. Para garantir a animação, o bloco fez uma parceria com o Vigo Video (www.vigovideo.net), rede social de vídeos curtos, e garantiu a estrutura necessária para a folia. De quebra, a iniciativa traz visibilidade para as ações sociais e culturais permanentes, que ocorrem em suas duas sedes no Jardim Ibirapuera, Zona Sul de São Paulo.

A festa vai ganhar ainda mais brilho visual e sonoro com o financiamento do app. Para os olhos, haverá uma decoração inédita por toda a região do desfile, contando também com a distribuição de roupas personalizadas para a criançada. Além disso, mais de vinte grafiteiros pintarão uma escadaria próxima ao local de concentração. Os surdos, caixas e agogôs também ganham reforço: de 35, o número de músicos este ano pulou para 60.

Nesse clima, integrantes do bloco e os foliões farão vídeos para o Vigo Video. Além de aproveitar o visual colorido e alegre do carnaval para criar conteúdo interessante, é uma estratégia para aumentar a visibilidade da entidade no mundo digital. “Desde que começamos, o Vigo é o maior parceiro para o carnaval que já esteve ao nosso lado”, diz Luiz Claudio Souza, um dos fundadores do grupo em 2002.

Na época, a ideia era trazer um pouco de alegria para a região – o Jardim Ibirapuera está na região do M’Boi Mirim, com altos índices de criminalidade e vulnerabilidade social. Passado o carnaval, ficou a percepção de que havia um vácuo de opções culturais no bairro e que o grupo poderia se organizar para trazer melhorias e oportunidades para os moradores do entorno.

Em 2003, o Bloco do Beco se tornou um espaço de iniciativas sociais permanentes, que hoje atende em torno de 300 crianças, adolescentes e adultos em dois espaços ao longo de todos os meses. Para os mais novos, há aulas de capoeira, judô, balé, artes plásticas e oficinas de comunicação e jornalismo. Para os mais velhos, encontros de forró, hip-hop, alfabetização e inclusive grupos de apoio para dependentes químicos.

Mas o carnaval, é claro, continuou no coração. Com o boom na festa de rua que ocorre em São Paulo nos últimos cinco anos, o Bloco do Beco ganhou novos frequentadores. Das dezenas de pessoas que acompanhavam o desfile no começo, o público saltou para quatro mil foliões. “Isso demanda mais infraestrutura”, conta Luiz. “Por conta disso, essa parceria com tem sido muito importante”.

O trabalho social foi o chamariz para o aplicativo escolher o grupo. “É importante trazer visibilidade para organizações que fazem trabalhos relevantes e estão fora dos principais eixos de cultura”, afirma Rodrigo Barbosa, gerente de marketing da Vigo Video.

Quem se beneficia com o trabalho do Bloco do Beco agradece. Quem só quer curtir o carnaval, também. E a festa vai ser boa, Luiz? “Ah vai, viu. Nós fazemos questão de desfilar na comunidade e quem vier não vai se arrepender!”.

O Bloco do Beco sai no sábado de carnaval, dia 2 de março. A concentração começa ao redor das 15h na rua Salgueiro do Campo nº 612, no Jardim Ibirapuera.



Sobre o Vigo Video
Rede social voltada exclusivamente à produção de vídeos curtos e originais por meio da qual as pessoas compartilham suas histórias do dia a dia, divertem-se e promovem seus talentos. O Vigo Video capacita usuários com ferramentas de edição fáceis de se utilizar e conecta indivíduos da comunidade com interesses semelhantes. http://www.vigovideo.net.

Sobre o Bloco do Beco
Criado em 2002, o Bloco do Beco nasceu como um desfile carnavalesco no bairro do Jardim Ibirapuera, na Zona Sul de São Paulo. No ano seguinte, passou a oferecer atividades permanentes de cultura, assim como ações sociais em duas sedes na região. www.blocodobeco.org.