Saúde de Mafra alerta sobre cuidados ao encontrar escorpiões em casa ou terrenos

Vigilância em Saúde de Mafra explica que não há infestação desse artrópode, mas cuidados devem ser constantes como eliminação dos abrigos úmidos onde vivem - entulhos, frestas, materiais de construção, forros, panos deixados no chão, encanamentos, entre outros

Por Assessoria 10/08/2018 - 09:11 hs

Um velho conhecido dos mafrenses, o escorpião da espécie Tityus costatus, o escorpião manchado, costuma causar medo às pessoas. Atraído por locais habitados por baratas, sua fonte de alimento, costumam aparecer com mais frequência durante o verão. Em Mafra, moradores do Centro relataram à Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde o aparecimento de escorpiões em casa. Por este motivo, a Saúde alerta à população sobre como proceder ao se deparar com este “hóspede indesejado” em sua residência ou terreno. De acordo com dados da Saúde de Mafra, de 2006 a 2017 foram notificados 12 acidentes com escorpião em Mafra. “Apesar de parecer um número pouco expressivo, a prevenção para evitar a proliferação é de extrema importância. Portanto, adotar medidas preventivas ajuda a evitar uma possível infestação”, alertou a enfermeira da Vigilância Epidemiológica, Francesli Pereira.

Já, segundo a Vigilância Sanitária de Mafra (VISA), esta não é a primeira vez que escorpiões são encontrados em Mafra. Conforme Ficha de Identificação animal expedida pelo Centro de Informações Toxicológicas (CIT) de Santa Catarina, os escorpiões identificados são da espécie Tityus costatus, ratifica a VISA.

 

Conhecendo o hóspede

O escorpião não costuma atacar sua presa e usa o veneno, basicamente, como instrumento de defesa, para imobilizá-la, mas também serve para pré digerir os órgãos internos e vísceras do animal. Eles se adaptam muito bem à vida no subterrâneo das cidades e quando buscam um abrigo provisório, acabam subindo pelas tubulações, ocasiões em que podem terminar escondendo-se dentro de residências. O Tityus costatus possui 7cm de comprimento,  colorido geral castanho amarelado com manchas nas pernas e palpo . As espécies encontradas na região sul apresentam uma coloração mais escura e presença de três faixas longitudinais na face dorsal do tronco e espinho sob o ferrão (vide foto). Escorpiões deste gênero apresentam veneno de importância médica. A pessoa picada pelo Tityus costatus apresenta dor e coceira local. Podem ser encontrados em qualquer ambiente úmido, escuro e com insetos. As ocorrências de acidentes geralmente são nos meses mais quentes e úmidos do ano.

 

Combate

Segundo informações da VISA, o uso de veneno não é eficaz no combate aos escorpiões. Algumas pesquisas mostram que o uso de venenos pode provocar inclusive o aumento da população, pois sua utilização provoca apenas o desalojamento temporário dos mesmos, favorecendo assim a dispersão de focos, já que os escorpiões possuem um revestimento de quitina que os deixa impermeáveis ao veneno. O controle se demonstra mais eficaz eliminando possíveis ambientes de vida e/ou possíveis insetos que sirvam para sua alimentação.  A VISA recomenda que para evitar o escorpionismo deve-se basear nos hábitos e hábitat do escorpião: manter o domicílio sempre limpo e sem entulhos, vedar soleiras de portas, fechar ralos no chão, pias e tanques, verificar calçados e roupas antes de vestir.

 

Dicas de Prevenção

 

- Manter quintal, jardim e arredores da residência sempre limpos, evitando plantas de muita folhagem;

- Não jogar lixo e entulhos próximos de residência. O lixo é um bom ninho para os escorpiões;

- Eliminar latas, cacos de telhas e outros objetos que possam acumular água. Os escorpiões têm necessidade de água;

- Eliminar as baratas, elas são um bom alimento para os escorpiões;

- Tampar ralos de chão, pias e tanques;

- Observar com cuidado os panos de chão e as roupas úmidas antes de apanhá-los;

- Observar com cuidado sapatos e roupas, sacudindo-os antes de calçá-los ou vesti-los;

- Ter cuidado para não ser picado nas mãos, ao mexer em montes de lenha, tijolos, entulhos, folhagens e buracos;

- Manter as camas afastadas da parede;

- Rebocar paredes e muros para que não apresentem vãos e frestas;

- Evitar plantas ornamentais densas, arbustos e trepadeiras junto a paredes e muros das casas;

- Em caso de picada, procure imediatamente o serviço de saúde mais próximo.

 

Evitando a proliferação

A VISA, a fim de conter a proliferação de escorpiões, realiza periodicamente palestras para os Agentes Comunitários de Saúde (ACS) para orientar a população quanto às medidas necessárias para coibir o aparecimento deste artrópode. Além disso, quando alguém notifica a VISA sobre o aparecimento de um escorpião, são tomadas as seguintes medidas:

- foto do escorpião para envio ao Centro de Informação e Assistência Toxicológica de Santa Catarina (CIATox/SC) para identificação da espécie;

- orientações repassadas ao morador para evitar o aparecimento de escorpiões;

- caso uma pessoa seja picada, orientam a pessoa a procurar unidade de saúde para tratar a dor.

 

Serviço

Para mais informações e esclarecimentos a pessoa deve se dirigir à ESF mais próxima de sua residência. Em Mafra, a Vigilância Sanitária fica localizada na Rua Gabriel Dequech, 220. Telefone: 3642-8708.

 


Saiba mais

Fontes de consulta

Site FIOCRUZ - https://agencia.fiocruz.br/especialista-orienta-sobre-prevencao-de-acidentes-com-escorpioes - (Acesso 30.07.2018).

Site DIVE/SC - http://www.dive.sc.gov.br/index.php/arquivonoticias/748barrigaverdeacidentes-por-animais-peconhentos - (Acesso 30.07.2018).

Centro de Informação e Assistência Toxicológica de Santa Catarina (CIATox/SC)

http://ciatox.sc.gov.br/

 

 

Fale com a Prefeitura

Ouvidoria: 47 3641-4043 – ouvidoria@mafra.sc.gov.br

Site: www.mafra.sc.gov.br

A Prefeitura de Mafra fica na Av. Prefeito Frederico Heyse, 1386, Alto de Mafra. Telefone: 47 3641-4000.