Ana Paula está no BBB18! Conheça a participante

Catarinense é bruxa e conta que não beija arianos nem leoninos

18/01/2018 - 14:54 hs

As pessoas ali dentro têm o carma coletivo. Elas, em todo o planeta, estão vivendo 3 meses juntas por quê?”, pergunta a mãe de Ana Paula, sister e bruxinha do BBB18. E a bruxaria, no caso dela, é coisa séria. “Ser bruxa é como ser umbandista. A única diferença é que eu acredito nas deusas. Eu acredito na deusa Afrodite, no deus Posseidon. Em vez de acreditar em Jesus, estou acreditando nas deusas. Eu vou lá e acendo uma vela para Afrodite para pedir um grande amor”, conta a estudante de jornalismo, ao mostrar um dos altares e as poções que faz com seu círculo de bruxas.

Apesar dos altares para deuses de diversas religiões na sala de casa, Ana Paula, de 23 anos, explica que é uma pessoa espiritualizada e não religiosa. “Religião é uma coisa que prende as pessoas”. E prisão é uma palavra que nada tem a ver com essa sister. Acima de tudo, o que a define, em suas próprias palavras, é seu signo solar em escorpião e todas as suas facetas. Ana Paula não tem medo de dizer que adora sexo e liberdade, mas na hora de namorar... A sinastria fala mais alto e, antes de beijar na boca, a primeira pergunta é sobre o signo.

“Se acho o cara muito gato, primeiro eu beijo e depois eu falo. Mas se o cara falou que é ariano, leonino, alguma coisa assim, não bate”, declara.

“Não tenho nada contra, mas é que não bate com o meu, porque são dois brigões batendo cabeça. Não rola. Eu prefiro uns signos mais tranquilos. Eu gosto da paz do Senhor”, explica a estudante, que prefere taurinos, cancerianos e os próprios escorpianos.

O que alguns poderiam chamar de limitação, Ana Paula diz que é experiência mesmo. “Para relacionamento realmente eu não me envolvo, é bem difícil. Já fiquei com todos os signos do zodíaco, tenho experiência com todo mundo”, diverte-se.

“Estou solteira porque não gosto de namorar. Gosto de ter minha liberdade, de não ter que falar para onde vou, onde estou, o que estou fazendo. Eu gosto, sim, de ficar com quem eu quero”, afirma.

Na amizade, Ana Paula também se apega aos astros e já identifica as falsianes pelo sol. “Eu vi o signo da pessoa e já falei: ‘Não é confiável’. É mais forte que a pessoa. Têm signos que realmente não dão. Tipo assim, um geminiano que é meio bipolar. Pode ser que agora ele esteja contigo e daqui a dois segundos não”, conta, apesar de ter um melhor amigo geminiano. “Se ele não é muito confiável, não é muito seu amigo, talvez realmente ele te traia”.

A espiritualidade de Ana Paula e sua família vai além das deusas e dos signos. Ela acredita que o pai é reptiliano - basicamente um extraterrestre -, aguarda seu próprio contato com os seres de outro mundo, mas baseia todas as suas crenças no xamanismo.

Se a fé vai à frente, a luta vai ao lado. Ana Paula é atriz, com registro desde os 14 anos. Começou a estudar Jornalismo, largou tudo para se formar comissária de bordo, “uma das profissões que apareciam no meu mapa”. Nunca abandonou o sonho de ser atriz e passou um ano no Rio de Janeiro estudando teatro. Para pagar as despesas, Ana Paula sofreu em seu trabalho como secretária. Diz que era maltratada pelos chefes e também teve de lidar com a antipatia de seus colegas de teatro. Agora, com o pé dentro da casa mais vigiada do país, ela diz: “Eu só queria ver a cara dessas pessoas”.