Na Lapa, solução para o transito passa pela municipalização.

Por Tony Antunes 04/04/2016 - 15:02 hs
Na Lapa, solução para o transito passa pela municipalização.
Ruas da Lapa precisam de rotatividade nas áreas de estacionamento.

A histórica e legendaria cidade da Lapa é uma cidade pequena com problemas de metrópole. Em se tratando de transito é cada vez mais urgente a necessidade da adoção de medidas que proporcionem melhorias tanto em ações educativas e principalmente na rotatividade das vagas de estacionamento bem como na fluidez dos veículos. 

A Lapa possui um centro histórico maravilhoso do ponto de vista turístico e cultural porem as ruas estreitas restringem a trafegabilidade. As ruas são as mesmas, as áreas de estacionamento são iguais á dezenas de anos atrás, ao passo que há um gradual e expressivo aumento do numero da frota de veículos que já alcançou a marca de 25 mil unidades. 

Municipalização: 

É inevitável e é desta forma que a municipalidade vem agindo. A Municipalização do transito consiste num processo em que o município assume a competência para o gerenciamento do trânsito adequando-o a forma que lhe for mais conveniente, sendo contemplado com as seguintes vantagens: 

1) aumento de receitas, tais como: implantação dos serviços de estacionamento regulamentado; taxas de cadastramento de ciclo motores e outros meios de transportes; multas municipais por infração à legislação de trânsito; serviços de remoção e guarda de veículos; taxas de circulação para cargas especiais e perigosas etc; 

2) melhoria da qualidade do trânsito urbano e consequentemente melhoria da qualidade de vida da população;

 3) redução dos custos hospitalares com a redução de acidentes;

 4) formação mais adequada dos alunos de escolas municipais como usuários de trânsito;

 5) possibilidade de profissionalização dos jovens do município, qualificando-os como técnicos em operação, fiscalização, administração e planejamento do trânsito; 

6) abertura de novos empregos para a população.

Neste sentido em audiência publica realizada no ultimo dia 30 de março, na Secretaria Municipal de Educação, foi aprovada  a municipalização do transito na Lapa. 

Nos próximos dias serão enviados á Câmara Municipal da Lapa os anteprojetos de lei que tratam da matéria, como a implantação do ESTAR, formação da JARI, da estrutura administrativa, dos agentes de transito bem como da criação dos cargos. 

Esta questão da municipalização do transito é inevitável, necessária e de aceitação quase unanime pela população como solução a curto prazo. Porem é válida também uma analise um pouco mais profunda para as próximas gerações pensando a médio e longo prazo. 

Futuro 

Precisamos pensar em mobilidade urbana. Hoje as pessoas ainda preferem se locomover de veículo particular por falta de opção, já que não há ainda prioridade no espaço urbano suficiente para o transporte público desenvolver boa velocidade, e também por questões culturais.

De fundamental importância  nas cidades é o transporte público coletivo no qual várias pessoas são transportadas juntas em um mesmo veículo. Nas cidades grandes, o transporte coletivo urbano também tem a função de proporcionar uma alternativa de transporte em substituição ao automóvel, visando à melhoria da qualidade de vida da comunidade mediante a redução da poluição ambiental, congestionamentos, acidentes de trânsito, necessidade de investimento em obras viárias caras, consumo desordenado de energia, etc.

Particularmente na Lapa, verifica-se diariamente uma situação onde, no entornos da rodoviária a partir das 06:00 horas da manhã já não há mais vagas de estacionamento disponíveis. Trabalhadores que exercem suas atividades em outras cidades se deslocam com veículos próprios que permanecem ali o dia todo.

Ora, devemos também refletir um pouco mais a fundo na motivação desta pratica. Estas pessoas deixam seus veículos (patrimônio próprio) a mercê das ações do tempo, com serio risco de furto ou avarias por que motivo? Falta de opção. Falta uma alternativa de transporte coletivo eficiente. 

Isto ocorre também com comerciantes e funcionários, servidores públicos, bancários, enfim, todas as classes de trabalhadores da região central da cidade, da mesma forma e pelas mesmas razoes utilizam de veiculo próprio para seus deslocamentos diários. 

Atualmente, além de um eficiente transporte coletivo, há uma grande tendência mundial no incentivo ao uso da bicicleta como solução viável e ecologicamente correta para o transito.

Para o bem de todos nós e das futuras gerações. É preciso repensar e criar alternativas.