Sobrinha denuncia e homem que abusou de criança em mercado é investigado por crime em Curitiba

Vítima disse que abusos eram frequentes e que ocorreram entre seus 4 e 9 anos

11/11/2017 - 23:48 hs

O caso de um homem, de 62 anos, suspeito de abusar de uma criança em um supermercado na cidade de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, também teve desdobramento em Curitiba, após uma vítima denunciá-lo na delegacia. O suspeito foi indiciado na tarde de quinta-feira (9), pelo Núcleo e Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes (Nucria) de Curitiba, que apura o caso.

A vítima, hoje com 18 anos, registrou um Boletim de Ocorrência (BO), em setembro deste ano, depois que reconheceu o suspeito durante imagens divulgadas pela imprensa. Na delegacia, a jovem disse à polícia que na época dos fatos, o suspeito era casado com sua tia e que moravam próximos a sua casa, no bairro Portão. Ela disse que os abusos eram frequentes e que ocorreram entre seus 4 e 9 anos (2003 a 2008).

Em um dos episódios de abuso, a vítima relatou que o homem teria a levado contra sua vontade, até um supermercado nas proximidades de sua casa, e que cometeu os abusos dentro do provador de roupas.

De acordo com o Nucria, em depoimento a vítima também disse que sua família só tomou conhecimento sobre o caso no ano de 2015 e que o suspeito teria fugido para Porto Alegre assim que percebeu que os familiares já sabiam dos fatos.

Com base em investigações, oitivas e reconhecimento fotográfico, que o Nucria solicitou à Justiça um mandado de prisão preventiva contra o investigado pelo crime de estupro de vulnerável. “O mandado foi deferido pela Justiça e será encaminhado à Polícia Civil do Rio Grande do Sul para as medidas cabíveis”, relata o delegado-adjunto do Nucria, José Barreto.

Caso seja condenado o suspeito poderá pegar uma pena de oito a 15 anos de prisão.

Entenda o caso

O homem foi preso em flagrante no mês de setembro deste ano, pela Polícia do Rio Grande do Sul, após abusar sexualmente de uma menina de 5 anos dentro de um supermercado na cidade de Porto Alegre. Imagens do abuso ganharam repercussão na época dos fatos.

“Quem tiver mais informações sobre o suspeito ou algum reconhecimento, deve entrar em contato com o Nucria pelo telefone (41) 3270-3370”, finaliza.